close

Vendas de carros elétricos continuam aquecidas na China e no mundo

O mercado chinês tem quase a metade dos carros elétricos do mundo, mas setor também avança rapidamente na Europa, EUA e mesmo no Brasil

por Redação junho 2, 2022

O mercado de carros elétricos mantém-se aquecido em quase todo o mundo, inclusive no Brasil, mas o destaque aqui é a China. Também chamados de veículos de nova energia, eles somaram 455 mil unidades somente no mês de março deste ano. O volume é 122,4% maior que o do mesmo período de 2021 e nesse bolo de carros elétricos estão aqueles movidos a bateria (BEV), híbridos plug-in (PHEV) e a hidrogênio (FCEV). 

Do total vendido no mercado chinês em março, quase 98% são carros leves e, o mais impressionante é que o aquecimento nesse setor contrasta com a queda de 11% no mercado automotivo geral chinês no mesmo mês.

Antes de mais detalhes sobre o gigante asiático, o Seja Relevante compara que aqui no Brasil o mercado de carros elétricos também está aquecido.

Neste ano, segundo a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), devemos alcançar o marco de 100 mil veículos elétricos circulando no país. Até o ano passado eram 79,8 mil deles, entre automóveis, utilitários e veículos comerciais leves.

Somente em 2021, foram emplacados 34,9 mil veículos híbridos e elétricos no país, representando aumento de 77% sobre 2020 . Os números daqui não incluem ônibus, caminhões e veículos levíssimos, o que amplia a frota elétrica real em movimento. 

China comprou quase metade dos carros elétricos do mundo

Mesmo avançando, o nosso mercado de veículos elétricos é bem menor que o da China, onde os dados mostram que a categoria de carros totalmente movidos a bateria foram os mais vendidos, com 360 mil unidades emplacadas em março deste ano (ou 81% do total). Os 85 mil restantes (19%) são majoritariamente híbridos plug-ins, com uma parcela muito pequena de células de combustível. 

Na liderança de venda está a chinesa BYD, com 104.878 emplacamentos (53.664 carros elétricos e 50.674 híbridos plug-in). A SAIC é a segunda colocada (74.509), com a Tesla fechando o trio de maiores vendedores, com 65.814 carros elétricos vendidos. 

De acordo com a Agência Internacional de Energia (IEA), as vendas de carros elétricos quase triplicaram na China em 2021, representando cerca de metade do total global

Europa e EUA também avançaram

O incremento também aconteceu na Europa, que aumentou em 65% a sua frota de carros elétricos, passando para 2,3 milhões de unidades circulando na região. Já nos Estados Unidos, essa frota mais que dobrou, chegando a 630 mil unidades em circulação. 

Dados da IEA indicam ainda que os carros elétricos chineses são tipicamente menores do que em outros mercados. Isso, juntamente com custos de fabricação mais baixos, reduziu significativamente a diferença de preço em relação aos carros tradicionais, sendo que o preço médio de um carro elétrico na China era apenas 10% superior ao das ofertas convencionais. Nos outros mercados, a média é de 45% a 50%. 

No mundo todo, a comercialização teria atingido o patamar de 6,6 milhões de carros (incluindo híbridos totalmente elétricos e plug-in) em 2021. Apesar das tensões nas cadeias de suprimentos globais, as vendas continuaram subindo fortemente em 2022, com 2 milhões de carros elétricos vendidos mundialmente no primeiro trimestre. O volume é  75% maior em relação ao mesmo período do ano anterior.