close

Tecnologias touchless ganham espaço nos aeroportos

Soluções sem contato agilizam processamento e embarque dos passageiros

touchless
por Redação dezembro 14, 2021
  • Inovação e transformação digital Mais informações
    Inovação e transformação digital

Um dos efeitos da pandemia de Covid-19 foi a aceleração tecnológica. É o caso dos aeroportos, onde os recursos touchless, ou seja, sem necessidade de contato físico, ganharam força. O relatório One ID – Seamless air passanger experience, editado pela multinacional Gunnebo, resume os avanços, com o argumento de que as tecnologias sem toque estão revolucionando esse tipo de infraestrutura de transporte.

“A adoção da tecnologia touchless em aeroportos estava aumentando antes da pandemia e agora está ainda mais acelerada no período de recuperação, devido aos benefícios na mitigação da disseminação do vírus”, destaca o documento.

Touchless está em várias partes dos aeroportos

O estudo lembra que a tecnologia sem toque tem sido usada em várias das etapas de movimentação dentro dos aeroportos, começando pelo leitor de controle de acesso. Nesse caso, as iniciativas envolvem a ativação de portões automatizados, com leitores embutidos. São eles que permitem a autenticação sem contato e o processamento automatizado de passageiros. Sem pontos de contato, a transmissão de vírus ou de patógenos encontrados em superfícies com alto tráfego é reduzida. O relatório destaca que esse tipo de recurso deve continuar a ser aperfeiçoado nos aeroportos.

O chamado aeroporto biométrico será uma realidade daqui pra frente e poderá adotar o reconhecimento facial como base. O rosto poderá ser o referencial para autorizar a passagem das pessoas por cada estágio dos portões de segurança do aeroporto. Os usuários poderão se locomover no aeroporto – desde a entrada no terminal até o embarque – usando sua face como identificação, sem a necessidade de apresentar continuamente cartões de embarque e outros documentos de identificação e trocá-los com os funcionários do aeroporto.

O usuário olha para uma tela com uma câmera embutida e, após autorização positiva, o portão se abre automaticamente. Todo o processo de acreditação leva apenas alguns segundos e é totalmente sem contato.

Para Stephan Hirmer, chefe de serviços de processamento de passageiros da Amadeus, a tecnologia sem contato já está incluída nos aeroportos e traz muitos benefícios. A empresa é uma das líderes mundiais em tecnologia de viagens, e aposta nas soluções biométricas.

Hirmer lembra que muitos aeroportos estão adotando opções de pagamento sem contato, reservas online e cartões de embarque virtuais para reduzir a necessidade dos passageiros entrarem em contato com a equipe e as superfícies. Alguns aeroportos deram um passo adiante com a inclusão da tecnologia biométrica.

O especialista lembra que a biometria é relativamente nova e que as pessoas estão se acostumando com ela. Para Hirmer, a adoção será cada vez maior, mas deverá começar por áreas. “Às vezes é apenas na área VIP, no início, e depois se expande para todo o público de passageiros. Outras vezes é apenas em uma companhia aérea e depois se expande para outras”, argumenta, salientando que a Amadeus vem testando os recursos e aponta uma redução no processamento de entrada dos passageiros.

“Se um voo pode ser embarcado mais rápido, o avião ocupa menos tempo o portão, dando espaço a outra aeronave. Ou seja, aumenta-se a capacidade geral do aeroporto e o tempo de resposta das companhias aéreas”, explica. “Se pensarmos na companhia aérea, é melhor ter os aviões no ar o máximo possível, porque é quando eles podem gerar receita. O processamento biométrico ajuda a fazer isso porque reduz o tempo de espera no embarque e no processamento dos passageiros”, finaliza.