close

Pesquisador de Yale relaciona enchentes do furacão Ida ao aquecimento climático

As fortes enchentes nos EUA podem ser mais frequentes, devido ao aquecimento global, segundo pesquisador da Universidade de Yale

enchentes nos EUA
por Redação outubro 15, 2021
  • Impacto positivo e legados sustentáveis Mais informações
    Impacto positivo e legados sustentáveis

As mudanças climáticas começam a ser associadas a desastres naturais e, New Haven, no estado americano de Connecticut, pode explicar a relação. A cidade enfrentou fortes enchentes no começo de setembro, inclusive com 190 cortes de energia. Os problemas vieram com o furacão Ida, que passou pela região, e deve se repetir como um padrão nos próximos anos. Peter Raymond, professor de ecologia de ecossistemas da Escola de Meio Ambiente da Universidade de Yale, é quem defende o argumento.

Segundo ele, chuvas fortes são eventos de baixa frequência, mas estão se tornando mais comuns à medida que o clima muda. Raymond avalia que o aquecimento do clima pode estar relacionado aos furacões e inundações. A explicação é simples:  à medida que a temperatura do ar aumenta, mais água pode ser retida na atmosfera, fazendo com que as tempestades que se formam também retenham mais água, levando a chuvas mais pesadas.

Outra informação destacada pelo pesquisador ao Yale Daily News é que o aquecimento da atmosfera faz com que o oceano absorva o calor e se aqueça, aumentando o potencial para ventos de tempestade mais fortes. “Uma razão pela qual a intensidade do Ida aumentou rapidamente no final de sua trajetória é porque o Golfo do México é particularmente quente”, explicou Raymond ao jornal da universidade americana.

Outros dois pesquisadores parecem ter opiniões similares às de Raymond. É o caso de Simon Wang, professor de dinâmica climática da Universidade Estadual de Utah. Para ele, os furacões são um processo natural que existia antes das tendências recentes de aquecimento global, mas podem ser afetados pelas mudanças climáticas. Wang avalia que, com o aquecimento do clima, esse tipo de evento pode ocorrer com maior intensidade. Michael Dietz, diretor do Instituto de Recursos Hídricos de Connecticut, é outro partidário do mesmo tipo de associação, segundo o Yale Daily News.

“Relatórios de todo os Estados Unidos mostraram os danos catastróficos à vida humana e à infraestrutura causados ​​por furacões. Mas mesmo em áreas que não são atingidas diretamente por um furacão, como Connecticut, as enchentes pesadas trazem sua própria cota de problemas”, explica a reportagem.