close

Pesquisa identifica tendência de uso do Live Commerce 

Levantamento do Opinion Box mostra tendência de compra em transmissões online ao vivo, o chamado Live Commerce

live commerce
por Redação agosto 2, 2022
  • Inovação e transformação digital Mais informações
    Inovação e transformação digital

O Live Commerce começa a aparecer no radar do comércio brasileiro, segundo a pesquisa Social Commerce 2.0 – Tendências de consumo nas redes sociais, recém publicada pela Opinion Box. O levantamento, feito em parceria com a All in, discute o chamado comércio social – ou social commerce – que nada mais é do que a venda feita por meio de redes sociais. Nesse guarda-chuva, as vendas por transmissão ao vivo, o chamado Live Commerce, surgem como uma tendência de grande potencial, pois 28% dos brasileiros já são adeptos às compras por esse meio. 

Outro dado interessante é que, apesar de nunca terem feito compras por live, 35% dos entrevistados responderam que pretendem comprar dessa forma. O formato pode cair no gosto popular por alguns fatores, entre eles as ofertas dos cupons de desconto, recurso apontado por 61% dos consumidores que adotam a prática. Além disso, 54% dizem ter mais explicações sobre o produto quando usam o Live Commerce. 

Em relação às plataformas preferidas para assistir às lives, o Instagram aparece com 70% de preferência, seguido do Youtube e Facebook, com 55% e 41%, respectivamente. Independente do canal, a pesquisa do Opinion Box lista os pontos que ainda preocupam nessa modalidade de vendas: alguns consumidores consideram que as transmissões ficaram saturadas. Dos não adeptos ao Live Commerce, 38% preferem comprar por sites ou aplicativos e 26% se sentem mais confortáveis comprando pelas lojas físicas.

Redes sociais aumentam engajamento nas vendas 

Ainda de acordo com a pesquisa, 75% das pessoas entrevistadas usam as redes sociais para pesquisar produtos, começando pelas informações sobre preços e a experiência que outros clientes tiveram com determinada marca. Para 57% deles, é melhor ter imagens dos produtos. “Isso mostra algo que já está enfatizado há um tempo: é bastante necessário que as lojas online mostrem o máximo sobre o produto, já que não é possível experimentá-lo, como na loja física, por exemplo”, pontua o relatório. 

As redes sociais são grandes aliadas nesse processo, pois com elas é possível exibir vídeos do produto em diversos ângulos, avaliações de clientes nos stories e até os bastidores de fábrica e logística. Além de dar engajamento, as redes sociais também satisfazem o cliente e garantem maior confiança sobre o item vendido. 

A pesquisa foi feita entre os dias 18 e 23 de maio de 2022 e tem um grau de confiança de 95%, com margem de erro de 3,0 pontos percentuais. Foram ouvidos 1087 homens e mulheres de várias classes sociais e maiores de 16 anos.