close

Pesquisa aponta perfis profissionais mais procurados em 2022

Desenvolvedores, especialistas em dados e em cibersegurança estão entre os profissionais mais buscados, segundo consultoria

por Redação maio 6, 2022

Os resultados da Pesquisa Salarial Robert Walters 2022 mostram que a pandemia mudou o paradigma das competências de profissionais mais buscados pelas empresas do setor de tecnologia. A lista de posições em alta inclui desenvolvedores, profissionais disponíveis para trabalhar remotamente, especialistas em dados, gerentes de tecnologias, CTOs, ou seja, diretores de tecnologia, e perfis focados em cibersegurança. O levantamento indica que os trabalhadores remotos, especialistas em dados e segurança da informação, bem como desenvolvedores e líderes em inovação e tecnologia, estão na mira dos recrutadores em 2022.

Segundo Tatiana Chebat, Managing Consultant da divisão de TI & Digital da Robert Walters Brasil, o que as empresas procuram atualmente são pessoas que se adaptam rapidamente à mudança. Os profissionais em alta são aqueles que se movem suavemente em ambientes voláteis, incertos, complexos e ambíguos e que são resilientes.

Maleabilidade, senioridade e liderança

“Antigamente, os profissionais mais requisitados eram pessoas que tinham conhecimento técnico da tecnologia utilizada pela empresa. Mas hoje a realidade é um pouco diferente”, argumenta a especialista. Para ela, os perfis de profissionais mais buscados são aqueles que se adaptam facilmente às mudanças e que aplicam metodologias ágeis, além de operar no modo remoto.

Outra avaliação da pesquisa é a procura por colaboradores com senioridade e liderança. “Você pode ter uma posição de desenvolvedor sem ter uma equipe, mas sua liderança ou senioridade é mostrada ajudando seus colegas, vendo como eles estão, como estão no dia-a-dia, como você pode ajudar a melhorar a organização e seu time como um todo”, explica Tatiana. Para ela, essa é uma das habilidades essenciais na hora de contratar perfis de forma 100% remota. “E por último, há muitas empresas estrangeiras que contratam talentos tecnológicos no Brasil, por isso o Inglês também é fundamental’’ finaliza.