close

Michel Fleuriet: o institutional builder que vive em cada canto da Fundação Dom Cabral

Em artigo, o professor Rodrigo Zeidan mostra porque Michel Fleuriet ajudou a construir e solidificar instituições, como a FDC

Michel Fleuriet

por: Rodrigo Zeidan

professor da New York University Shanghai e da Fundação Dom Cabral (FDC)

“Michel, temos uma escala em Paris de quase 10 horas. Vamos tomar um café?”. “É aniversário da minha esposa. Vamos fazer um almoço para ela aqui em casa. Vocês estão convidados”. “Que isso, Michel? Não vamos te incomodar. Nos vemos na próxima“. “Nada disso! Agora você está intimado a vir. Se não vier, vou ficar ofendido”. Esse dia, imensamente agradável, cercado de amigos dele que nos receberam maravilhosamente bem, foi mais um exemplo da generosidade de espírito do Michel Fleuriet.

Michel foi um intelectual de primeira grandeza. Todavia, tão importante quanto suas imensas contribuições para a sociedade mundial é o fato de que era um ser humano excepcional, sempre disposto a ajudar ao próximo. Sua positividade contagiante nos fazia acreditar que tudo era possível. Michel era o que chamam em inglês de “institutional builder”, ou seja, uma pessoa que ajuda a construir instituições.

O legado de Michel Fleuriet vive em cada canto da Fundação Dom Cabral, pois ele esteve presente em muitos momentos chaves da história da instituição e contribuiu, sobremaneira, para sua evolução – algo que o enchia de orgulho, só não mais que a sua amizade com o Prof. Emerson de Almeida.

Michel para alguns ou Fleuriet para outros (mas nunca Senhor, Doutor ou Professor, já que ele não gostava de formalidades; como bom professor de finanças, o que importava era o conteúdo, não a forma) sempre foi generoso com todos os professores de finanças da instituição. Se hoje o Modelo Dinâmico é aplicado em centenas de empresas, é porque Michel nunca se furtou a compartilhar o que criou com os colegas; era um acadêmico e um profissional sem ego.

Obviamente, quem já ouviu falar dele foi provavelmente por causa do Modelo Fleuriet, uma abordagem dinâmica de gestão de capital de giro. Michel apresentou o Modelo Dinâmico de Gestão Financeira (nome que ele preferia e que é o título do meu livro com ele, publicado em 2015) nos anos 1970 e nunca parou de desenvolvê-lo. O impacto de Michel Fleuriet na sociedade brasileira vai muito além do que está codificado em livros e artigos, mas não podemos deixar de reconhecer a relevância do modelo dinâmico na gestão das empresas brasileiras.

A ideia central do modelo é a de que capital de giro é um investimento de tão longo prazo quanto qualquer máquina ou equipamento. A partir dessa ideia central e da reformulação do Balanço Patrimonial para separar ativos e passivos cíclicos de não cíclicos, Michel ensinou a gerações de executivos como gerenciar de forma eficiente as finanças de suas empresas.

Mas as contribuições de Michel vão além do modelo. Ele foi pioneiro em governança corporativa e na integração de objetivos não-financeiros, como o impacto empresarial sobre o meio-ambiente, nas estratégias econômicas de empresas de todos os tamanhos; seus trabalhos sobre o assunto foram publicados muito antes desses assuntos serem o foco da atenção de empresários (um deles pode ser baixado aqui).

O mais interessante é que o Modelo Dinâmico foi adaptado, na década de 80, para ajudar as empresas brasileiras a lidar com a inflação galopante. Mas a genialidade de Michel era tão grande que ele desenvolveu novas versões do modelo para a atual realidade das empresas. Como ele gostava de dizer: “Quer encontrar dinheiro? Procure dentro da empresa”.

Maximizar lucros, diminuir risco de falência, atender interesses dos acionistas e do resto da sociedade, propulsionar economia verde e muito mais, o Modelo Fleuriet (desculpe, Michel, por não respeitar sua humildade) continua sendo a base mais atual para gestão financeira das empresas brasileiras. Obviamente, Michel ensinou muito mais que o Modelo, já que foi presidente de banco de investimentos na Europa, capitaneou fusões e aquisições, foi membro do conselho de várias empresas e muito mais. Ele usava toda essa experiência para ensinar os mais diversos assuntos no Brasil e no mundo. O que Michel Fleuriet fez pela Fundação Dom Cabral, pelas empresas brasileiras e pelos seus amigos não tem preço. Michel, foi uma grande honra ser seu amigo. Obrigado. Em nome de todos os brasileiros.

*  Rodrigo Zeidan é professor da New York University Shanghai e da Fundação Dom Cabral (FDC).