close

Lupo completa 100 anos e deve abandonar gestão familiar

Fabricante de meias e roupas íntimas, a Lupo sofreu com a pandemia e deve mudar para um modelo de gestão com executivo de mercado

Lupo 100 anos
por Redação outubro 15, 2021
  • Estratégia e governança Mais informações
    Estratégia e governança
  • Liderança Mais informações
    Liderança

A famosa fabricante de meias e roupas íntimas acaba de completar 100 anos e deve mudar o modelo de gestão, com a substituição da neta do fundador, Liliana Aufiero, por um executivo de mercado. A informação é da revista Istoé Dinheiro. De acordo com a publicação, Liliana prepara a sua sucessão como presidente da empresa e o mais cotado para o cargo seria o atual diretor-superintendente, Carlos Alberto Mazzeu, que está na companhia há 40 anos.

A mudança não tem data definida porque a Lupo enfrenta uma crise provocada em grande parte pela pandemia. Segundo a Istoé Dinheiro, a empresa teria fechado temporariamente as 647 lojas no país no auge da crise sanitária. O problema impactou os resultados do ano passado, quando a Lupo teve uma queda de 18% no faturamento líquido em relação a 2019 e uma retração de 41,8% no Ebitda. “Não há referência, não existe livro que ensina como sair dessa situação”, afirmou Liliana à revista de economia.

O resultado só não foi pior porque a empresa teve uma receita líquida de R$ 59 milhões com a fabricação de máscaras de proteção a partir de março de 2020, o que teria resultado em 8% no faturamento da companhia. “Para este ano (2021), o resultado desse modelo de negócio deverá ser bem mais representativo, motivado pela necessidade de mais restrições a partir da segunda onda de contaminação no país. Somente nos três primeiros meses do ano, o faturamento de máscaras alcançou R$ 65 milhões. A empresa registra a produção diária de 250 mil máscaras e [havia] uma fila de espera para junho”, detalha a Istoé Dinheiro.