close

Investimento em ESG está na mira dos CEOs globais

O investimento em ESG vai para o topo da preocupação dos CEOs globais, segundo a KPMG

investimento em ESG
por Redação outubro 14, 2021
  • Estratégia e governança Mais informações
    Estratégia e governança
  • Impacto positivo e legados sustentáveis Mais informações
    Impacto positivo e legados sustentáveis
  • Liderança Mais informações
    Liderança

As políticas de sustentabilidade, práticas sociais e de governança, resumidas na sigla ESG, em inglês, vão ocupar o topo das preocupações dos principais líderes de negócios globais nos próximos três anos, segundo a consultoria KPMG. O mais recente estudo da instituição, o 2021 CEO Outlook posiciona o clima, em particular, como um dos riscos para o crescimento. O levantamento indica planos significativos para investimentos relacionados à sustentabilidade, um foco no risco climático e uma pressão crescente sobre as empresas para fornecer divulgação de informações relacionadas ao ESG, as três letras que cada vez mais fazem parte das estratégias de negócios.  

A pesquisa coletou dados de mais de 1,3 mil CEOs das empresas mais influentes do mundo, distribuídos em 11 países e em 11 setores-chave da indústria. Uma das descobertas mais significativas da pesquisa é o retorno das expectativas de crescimento por parte dos principais líderes de negócios do mundo. Seis, em cada dez deles, demonstraram confiança sobre as perspectivas de crescimento da economia global nos próximos três anos, quase dobrando os 32% que responderam de forma semelhante em 2020.

“Se há algo positivo saindo dos últimos 18 meses é que os CEOs estão cada vez mais colocando o ESG no centro de suas estratégias de recuperação e crescimento de longo prazo”, resumiu Bill Thomas, presidente global e CEO da KPMG sobre o estudo. “O desdobramento das crises climáticas e sociais deixaram claro que precisamos mudar nossos métodos e trabalhar juntos”, complementa o executivo.

De acordo com Thomas, os líderes empresariais estão reconhecendo que precisam ser os motores de mudanças positivas, apoiando medidas para enfrentar os perigos ambientais, bem como os desafios de gênero e raça, além da equidade e mobilidade social. 

A pesquisa também descobriu que a pandemia de Covid-19 aumentou a demanda dos consumidores e partes interessadas para que as empresas “reconstruam melhor” e aumentem seus perfis de sustentabilidade, com 58% dos CEOs vendo uma maior demanda de investidores, reguladores e clientes por mais relatórios e transparência sobre questões ESG.

Para Jane Lawrie, chefe global de assuntos corporativos da KPMG, os CEOs estão sob pressão crescente para cumprir as metas ESG e abordar ativamente as questões sociais. “Com a pandemia ampliando a importância de uma recuperação sustentável e a COP26 marcada para novembro, os papéis sociais das empresas estão sob maior escrutínio do que nunca”, avalia.

A combinação da volta de confiança dos CEOs com a importância da sustentabilidade deve impulsionar os investimentos em ESG. De acordo com o estudo da KPMG, 30% dos executivos seniores estão procurando investir mais de 10% das receitas da empresa em iniciativas ESG nos próximos três anos. Já 74% deles relatam que o objetivo corporativo é direcionar ações para atender às necessidades das partes interessadas. A pesquisa também encontrou uma forte conexão entre ESG e iniciativas de transformação digital, com 75% dos CEOs relatando que seus investimentos digitais e ESG estão inextricavelmente ligados.

O 2021 CEO Outlook também descobriu que as mudanças climáticas aumentaram significativamente como um risco-chave aos olhos dos CEOs, subindo para o maior risco de crescimento nos próximos três anos. No ano passado, as mudanças climáticas estavam em quarto lugar e dividia os top five com ameaças cotidianas como a segurança cibernética e a cadeia de suprimentos.

Por fim, 33% dos CEOs disseram que não atingir as metas climáticas reduz a vantagem competitiva e impacta seus resultados financeiros.