close

Custo da construção civil sobe em setembro e acumula alta de 16% nos últimos 12 meses

Índices da FGV que medem custo da construção civil apontam para tendência de alta nos últimos 12 meses

custo da construção
por Redação outubro 15, 2021
  • Estratégia e governança Mais informações
    Estratégia e governança

O Índice Nacional de Custo da Construção – Mercado, conhecido como INCC-M, sofreu um aumento de 0,56% em setembro, repetindo o resultado de agosto deste ano. O índice acumula ainda uma alta de 11,99% no ano e de 16,37% em 12 meses. Os dados são do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) e foram publicados no último dia 27 de setembro, o INCC-M é pesquisado entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência e acompanha a evolução dos preços de materiais, serviços e mão de obra mais relevantes para a construção civil.

Outros dados divulgados pela FGV Ibre indicam que o índice dos Materiais, Equipamentos e Serviços desacelerou de 1,10% em agosto para 0,83% em setembro. A taxa correspondente a Materiais e Equipamentos variou 0,89% em setembro, após alta de 1,17% em agosto. Dos quatro subgrupos componentes do indicador, três tiveram queda nas taxas de variação, com destaque para materiais para estrutura, que passou de 1,05% para 0,78%.

A variação dos Serviços caiu de 0,78% em agosto para 0,56% em setembro, com destaque para projetos, que passou de 1,08% para 0,40%. Já a Mão de Obra subiu 0,27% em setembro, após a estabilidade verificada em agosto. 

Custo da Construção só caiu em quatro capitais

Regionalmente, entre as sete capitais pesquisadas, quatro apresentaram decréscimo em suas taxas de variação do INCC-M na passagem de agosto para setembro: Brasília, Belo Horizonte, Recife e São Paulo. Já Salvador, Rio de Janeiro e Porto Alegre tiveram alta.

Outro indicador de preços da FGV aponta que produtos do setor de construção civil registraram um aumento acumulado em 38,66% nos últimos 12 meses. Trata-se do Índice Geral de Preços-10 (IGP-10). O principal componente que puxou esse aumento foi o aço, com alta de 72,6% nos últimos 12 meses até maio. Os dados são de reportagem do portal Terra, repercutindo o crescimento do IGP.