close

Crescimento da economia digital esbarra em qualidade de talentos

Crescimento da economia digital esbarra no nível de qualidade dos talentos segundo pesquisa da BCG

economia digital
por Redação dezembro 9, 2021
  • Educação e aprendizagem Mais informações
    Educação e aprendizagem
  • Inovação e transformação digital Mais informações
    Inovação e transformação digital

O nível de qualidade dos talentos tem impedido o crescimento da economia digital, segundo especialistas da Boston Consulting Group (BCG) que participaram do evento Digital Innovation Day, realizado no final de setembro pelo site especializado TI Inside. Segundo a publicação, a pesquisa do BCG teria ouvido 1.775 gestores e executivos do setor de TIC. Baseando-se no levantamento, o vice-presidente de Assuntos Públicos da Huawei destacou que “a extensão e a qualidade dos talentos digitais de um país parecem ser os fatores-chave para potencializar o crescimento do seu ecossistema de inovação”. Ele também agregou a importância de um governo proativo e de um setor privado eficaz para superar o problema.

Ainda de acordo com a TI Inside, a economia digital vem crescendo mais rápido do que a economia tradicional. “A pandemia da Covid-19 acelerou muito essa transição para o digital. Para muitas PMEs têm sido ‘adotar o digital ou falir’”, sentencia a publicação. O site destaca ainda as estruturas como banda larga fixa, banda larga móvel e computação em nuvem como cruciais para o desempenho econômico. E deu indicações sobre a influência de várias tecnologias de digitalização: “até 2030, espera-se que o 5G contribua com entre 2 e 5% do PIB global, a IA com cerca de 15%, enquanto a IoT entre 12% e 15%. Já o blockchain contribuirá com cerca de 4%”, destacou a reportagem.

União Europeia, a China e a Coreia do Sul engajadas na economia digital

O papel da digitalização como ferramenta de recuperação econômica pós-pandemia foi outro destaque do evento promovido pela TI Inside. Segundo a publicação, a União Europeia, a China e a Coreia do Sul planejam fornecer apoio fiscal substancial ao investimento em infraestrutura digital e novos setores econômicos, como a economia algorítmica, a nova energia e a saúde digital. Também seria o caso de países como África do Sul, Brasil e Tailândia, os quais “colocaram em prática políticas e regulamentos de apoio durante a pandemia para facilitar a conectividade digital com aqueles que mais precisavam durante a pandemia”.

A BCG também avalia que somente três em cada dez empresas conseguem fazer uma transformação digital eficiente e o maior erro “está em sair comprando novas tecnologias, sem saber como serão usadas e de que maneira podem gerar valor para o negócio”, como aponta a matéria da revista Época Negócios. A reportagem destaca que 44% das empresas ouvidas até conseguem criar algum valor, mas por pouco tempo. E 26% dos entrevistados avaliaram que a digitalização “não ajudou a empresa em praticamente nada”.