close

Como diferenciar os estilos de liderança de Zelensky e Putin?

O Professor de Liderança e Pessoas da Fundação Dom Cabral, Paulo Almeida, mostra as diferenças entre os líderes dos dois países em conflito

Russia e ucrania
card

por: Paulo Almeida

Professor de Liderança e Pessoas da Fundação Dom Cabral.

O conflito armado entre a Rússia e a Ucrânia representa, tecnicamente, uma situação de crise. E tem, claro, um viés tristemente humanitário, mas sob o ponto de vista corporativo pode também ser pretexto para algumas observações e reflexões.

Nesse exercício, é necessário que coloquemos momentaneamente de lado os julgamentos éticos e morais que, embora sempre estejam presentes em uma sociedade aberta e democrática como a brasileira, serão por ora uma variável que tentaremos que não nos contamine a análise. 

Posto isto, vale recordar que, na Fundação Dom Cabral (FDC), usamos em nossos programas e soluções educacionais um conceito de liderança individual e organizacional adaptativa, que apela a uma visão de varanda e ao uso de uma nova lente para a liderança contemporânea. Na FDC, enfatizamos sempre e com muito sucesso a necessidade de nossos participantes, em diferentes graus de maturidade e de carreira executiva, olharem com distanciamento, humildade e espírito crítico, para seus liderados e para as situações-problema que enfrentam em seu cotidiano corporativo. Em uma situação de crise e de conflito armado, essa visão de varanda e orientação de mudança operacional e tática rápida serão, portanto, competências ainda mais necessárias.

Para além dessa visão adaptativa, o enquadramento cuidadoso e a comunicação adequada dos desafios são variáveis que condicionam o potencial sucesso adaptativo. Foi assim que, desde o início do conflito, o líder da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, comunicou força e estabilidade tanto para seu próprio povo quanto para o resto do mundo. 

Vestindo sua camiseta verde do exército, ele apareceu com frequência na televisão e nas plataformas de mídias sociais para reiterar a sua determinação e pedir ajuda ao mundo para combater o avanço de Putin. E fez isso num momento em que precisava lidar com várias frentes operacionais e estratégicas simultaneamente.

Existe aqui uma estreita correlação entre as habilidades de um estadista e de um CEO: ambos os tipos de líderes precisam se destacar no que é descrito como gerenciamento geral – lidar com uma série de questões urgentes e muitas vezes díspares ao mesmo tempo. É a liderança de paradoxos, no contexto de um Mundo BANI.

Estilos de liderança de Zelensky e Putin postos à prova

Volodymyr Zelensky

Muito provavelmente, o estilo de Zelensky será o de um herói carismático. Os líderes carismáticos oferecem a seus seguidores esperança e visões de um futuro melhor. Eles influenciam as pessoas fazendo apelos emocionais sobre como esse futuro pode ser. Recorde-se que já em sua campanha eleitoral de 2019, Zelenskyy havia personificado esse estilo carismático de liderança, se classificando como um candidato anti-establishment, buscando fornecer uma nova liderança e mudança para sua nação. 

Agora, durante a atual crise, o apelo emocional generalizado de Zelenskyy está no seu máximo. Ele inspirou seu próprio povo, mas também se tornou um ícone global, e isso quase da noite para o dia.

Putin, líder Russo, tem vindo ao longo dos últimos anos a abraçar o seu papel de líder ideológico. Esses líderes geralmente buscam um retorno a uma era passada, oferecendo-se para voltar no tempo para uma época em que os seguidores estavam mais satisfeitos com suas vidas. Eles costumam usar emoções negativas para enfatizar o que poderia acontecer se tal mudança não ocorresse. Putin ilustra mais diretamente o estilo de liderança ideológica em seu desejo abrangente de devolver a Rússia à era de Stalin e Lenin. 

Vladimir Putin

Putin também exemplifica o estilo ideológico de liderança ao tentar incorporar fisicamente os valores que ele acredita representarem a Rússia, incluindo projeções de força, história e imperialismo. Seu estilo de liderança, que pode para alguns parecer mais autoritário, tem sido na verdade eficaz para manter suas políticas, e para continuar conquistando ao longo dos últimos anos níveis de popularidade consideráveis entre seus seguidores.

Vejamos então, e num exercício de análise dos impactos desses estilos de liderança, o que podemos esperar no médio prazo.

Líderes carismáticos, como Zelenskyy, podem realmente energizar seguidores de uma forma que outros líderes não conseguem. Isso já resultou em doações maciças de fundos financeiros e outros tipos de apoio de todo o mundo. Mas a energia física e emocional é limitada e, eventualmente, os apelos carismáticos podem se tornar menos eficazes.

Finalmente, e talvez mais notavelmente, líderes ideológicos como Putin são muitas vezes inabaláveis ​​e não estão dispostos a fazer concessões. Eles podem encorajar seus seguidores a fazerem sacrifícios de maneiras que carismáticos não podem – mas apenas se os seguidores compartilharem os mesmos valores que o líder e o virem como representante desses valores.

Ora a matemática desse conflito é clara: a Rússia tem um exército muito maior. Se a Ucrânia sobreviver ao conflito, pode ser devido à desconexão entre a liderança ideológica de Putin e as necessidades práticas tangíveis de seu povo. Um jogo arriscado. E uma tragédia humana, que se lamenta!

* Paulo Almeida é Professor de Liderança e Pessoas da Fundação Dom Cabral.
[email protected]