close

Cinco passos para construir um local de trabalho saudável

Pesquisadores do MIT e de Harvard pontuam práticas para a construção de um local de trabalho saudável

trabalho saudavel
por Redação janeiro 17, 2022
  • Estratégia e governança Mais informações
    Estratégia e governança
  • Impacto positivo e legados sustentáveis Mais informações
    Impacto positivo e legados sustentáveis
  • Liderança Mais informações
    Liderança

Um guia desenvolvido por especialistas do MIT e da Universidade de Harvard indica os principais passos para a construção de um local de trabalho saudável, com foco, é claro, nos profissionais. Para os especialistas, os “funcionários saudáveis ​​têm menos despesas com saúde, são mais produtivos e têm menores taxas de absenteísmo e rotatividade.” 

O kit de ferramentas, como eles intitularam o material, foi desenvolvido pelo professor do MIT Sloan, Erin Kelly, e por Meg Lovejoy, especialista do Harvard Center for Population and Development Studies. O guia inclui etapas e recursos para ajudar os gerentes a darem aos funcionários mais controle sobre o trabalho, reduzir as demandas excessivas e melhorar as relações sociais do ambiente laboral.

A primeira etapa do guia envolve uma visão geral, com recursos como a identificação das causas básicas da saúde precária do trabalhador e potenciais parcerias entre funcionários e a gerência. As três etapas seguintes foram desenvolvidas na forma de princípios. 

Etapas para melhorar o local de trabalho saudável

O primeiro deles explica que é necessário dar aos funcionários mais controle sobre seu trabalho. “É estressante não saber onde, quando ou como as tarefas diárias de alguém são feitas”, destacam os autores do guia. Para eles, o estresse causado pelo baixo controle do trabalho está relacionado a níveis mais elevados de ausência e atrasos dos funcionários.

O segundo princípio foca no controle sobre o volume excessivo de trabalho. “As demandas de trabalho vêm em muitas formas: prazos, tomadas de decisão complexas e trabalho físico prolongado. Sem um ambiente de apoio, essas demandas podem levar ao esgotamento dos funcionários”, destacam os pesquisadores. Eles lembram ainda dos efeitos como lesões físicas. 

O terceiro princípio a ser trabalhado é a melhoria das relações sociais no local de trabalho, o que pode levar a benefícios como suporte emocional e proteção contra fatores de estresse. “Essas conexões contribuem para funcionários felizes, saudáveis ​​e produtivos”, argumentam.

O guia também trata do planejamento e implementação de uma abordagem de projeto de trabalho para a saúde. Os autores lembram que o material desenvolvido por eles não é uma solução única para todos e que é necessário iniciar a mudança, inclusive encorajando a participação dos funcionários. Outro conselho dos especialistas é que, além de criar um plano de ação, os responsáveis peçam opiniões sobre o processo de mudança no local de trabalho.