close

Casal em negócio: aumenta o número de empreendimentos a dois, segundo Google

Pesquisas apontam que casais são os que mais apostam em franquias, junto com aposentados e estudantes

casal em negocio
por Redação julho 21, 2022
  • Desenvolvimento de médias empresas Mais informações
    Desenvolvimento de médias empresas

Empreender a dois é uma tendência que vem crescendo no Brasil. Segundo uma pesquisa do Google, o termo “casal em negócio” apresentou um crescimento de 43% no mês de maio de 2022 em comparação ao mesmo período de 2021. Já de acordo com dados da ABF-RJ (Associação Brasileira de Franchising do Rio de Janeiro), os casais são os que mais montam um negócio, ao lado dos aposentados e dos estudantes.

Os negócios que mais atraem atenção de casais estão no mercado de educação e bichos de estimação. Um exemplo é a Happy, um hub educacional de desenvolvimento de habilidades e competências inovadoras, foco de Priscila Lacerda e seu esposo Nicolas Rodriguez, que moram em Piracicaba (SP). Na visão de Priscila, ela e marido são os opostos e conseguem complementar seus pontos fortes para alavancar o crescimento do negócio. “As vantagens de investir em casal é que confiamos um no outro. Para uma parceria dar certo é necessário o respeito, e além, claro, de muito amor um pelo o outro e pelo o que fazemos”, ressalta.

Ela ressalta que, ao decidir investir em uma franquia, o casal precisa escolher uma empresa alinhada com seus valores. “Investimos na Happy porque acreditamos que a educação transforma pessoas e pessoas transformam o mundo”, destaca. Ela, que atuou no mercado financeiro, lembra que a essa área não foi explorada nas escolas, assim como os conhecimentos de TI, onde seu marido se especializou. Atuar com educação permite que os dois possam espalhar essas áreas de conhecimento.

Família que empreende junto, continua junta?

Ainda no ramo de educação, outro casal que empreende junto é Marcelo Moreira e sua esposa Roberta. Há mais de 20 anos, eles abandonaram suas carreiras de formação – ele era militar e ela uma advogada – e resolveram empreender com a marca Cebrac, de cursos profissionalizantes. Segundo Marcelo, a ideia era ter mais autonomia e liberdade no dia a dia e criar algo que pudesse servir de legado para os filhos.

E deu certo. “Trabalharmos juntos se encaixou muito bem, principalmente pelo propósito de divisão das tarefas diante das habilidades de cada um, onde buscamos sempre respeitar as visões particulares de cada problema, e nos tornamos mais fortes para a tomada de decisões”, diz Marcelo.

Ele conta que aprenderam a separar as coisas e a não levar o trabalho para casa. Como resultado, o casal administra a segunda maior unidade do Cebrac e ainda conseguiu a ajuda dos filhos. O mais velho já é o líder da área comercial, enquanto a filha mais nova, ainda adolescente, está se preparando para atuar na área de Marketing e Vendas.

Empreender também pode ser um risco um risco na vida a dois, já que é preciso lidar com a dupla sociedade. É necessário que haja um certo equilíbrio para que a vida pessoal e de negócio tenha sucesso. É essencial que os problemas do outro não interfiram na função da outra pessoa, para que não haja complicações.

Letícia Kotinski já sabia de tudo isso quando ela e seu companheiro Bruno decidiram abrir uma franquia da Upvet em Boa Vista (RR). Bruno já tinha planos de abrir uma farmácia de manipulação veterinária quando começou a namorar Letícia e, assim que casados, ela assumiu os negócios junto com ele. “Desde então, estamos tendo muito crescimento, tanto pessoal, quanto profissional”, finalizou.